Translate

Fim, de Fernanda Torres



Fim é o primeiro livro escrito por Fernanda Torres e todas as críticas são unânimes em dizer que ela começou bem. De fato, a leitura flui muito facilmente e os personagens principais da história, cinco amigos de Copacabana, são tipos de pessoas que todos nós conhecemos. Não há surpresas ou novidades na vida dos personagens. O mais bacana do livro é a forma como foi escrito: todos os cinco amigos já estão mortos e a narrativa é como se fosse uma retrospectiva de suas vidas. Interessante também é ver a mesma vivência sendo contada por diferentes pontos de vista e no final, todos os casos e situações se encaixam. Livro pequeno, leitura suave e rápida. Vale a pena.



 

7 comentários:

Patrícia Di Carlo disse...

Eu gostei muito da narrativa da Fernanda, e o melhor é essa perspectiva do fim, um livro que tem um tema denso, mas que foi tratado com a leveza e o humor na medida certa! ;o)

Xerinhos, Dinda!!

Nina Victor disse...

Exato Paty! Tão leve que a gente até se esquece que a morte é que dá origem a tudo. Achei muito bem construído. Beijos! :)

Henrique Passos disse...

Desculpe, mas vou discordar. Achei o livro bem fraco.Os personagens são rasos, os pensamentos são rasos. Clichês aos montes. Humor comum. Fim não acrescentou nada para mim.

Nina Victor disse...

A mim também não acrescentou e como disse é uma história bem comum e sem surpresas, mas ainda assim serviu para me distrair.

Henrique Passos disse...

Entendo, Nina. O problema é que tem gente vendendo esse livro como se fosse literatura de primeiro nível, o que está bem longe de ser. Coloco "Fim" no terceiro nível. Se for para matar o tempo, ainda vai; respeito quem se divertiu com ele, mas nem para diversão ele me serviu; foi uma tortura terminar de ler esse livro. Até que a leitura começou fluindo bem, mas logo ficou bem maçante.

Nina Victor disse...

Henrique, devo dizer que meus olhos passaram bem rápidos pelo livro. De jeito nenhum foi uma leitura que "economizasse" para demorar a terminar, ao contrário, li bem rápido e por cima, mesmo porque não há o que com o que se demorar. Concordo com você, literatura de primeira não é mesmo, parece ser uma crônica que ficou grande demais...

Ricardo Aquino disse...

O livro é ruim de dar pena. Achei bem pretensioso, querendo ser o que não é. Também não consegui achar nenhuma graça no humor. Às vezes as piadas pareciam infantis. Não gostei. Livro pobre.